Jornal de Opinião

São muitos os textos enviados para a Agência Ecclesia com pedido de publicação. De diferentes personalidades e contextos sociais e eclesiais, o seu conteúdo é exclusivamente da responsabilidade dos seus autores. São esses textos que aqui se publicam, sem que afectem critérios editoriais da Agência Ecclesia. Trata-se de um espaço de divulgação da opinião assinada e assumida, contribuindo para o debate de ideias, que a internet possibilita.

26/08/11

Uma nova Jornada desponta à chegada

Enraizados e edificados em Cristo, jovens Aveirenses regressam ainda mais firmes na sua fé preparados para jornada feita na vida de todos os dias, nas realidades paroquiais e diocesana.

A chegada, na madrugada desta segunda-feira, 22 de Agosto, ao local de onde partiram há 11 dias, assinala o fim da peregrinação dos 245 jovens da diocese de Aveiro à Jornada Mundial da Juventude 2011, mas aponta já novos inícios, “uma nova jornada começa a partir desta aventura: começa no coração de cada jovem peregrino tocado por Jesus, nas acções que vão continuar a empreender nas suas comunidades paroquiais e na vida de todos quantos tiveram a possibilidade de participar desta experiência, como as famílias que acolheram os peregrinos de Aveiro em Córdoba” sublinha Ondina Matos, directora do Secretariado Diocesano de Pastoral Juvenil e Vocacional (SDPJV) Aveiro e responsável máxima desta participação da diocese nas JMJ de Madrid.
Em Madrid, e ao longo da Jornada, o grupo ficou alojado a sul da cidade, no complexo desportivo da Universidade Politécnica da capital espanhola. Na programação dos vários dias, os jovens cumpriram uma agenda exigente com catequeses, uma diversidade de actos litúrgicos e culturais por toda a cidade e, no dia 18, o grande encontro dos cerca de 11 mil portugueses, no Madrid Arena, com os seus Bispos. Neste mesmo dia, os jovens portugueses assistiram à chegada do Papa Bento XVI a Madrid e durante a tarde associaram-se à grande multidão que se espalhou pelas ruas de Madrid para o receber. Tiveram a oportunidade de, no dia 19, participarem na Via Crucis, celebrada por Bento XVI e, no fim-de-semana que se seguiu, 20 e 21 de Agosto, experienciaram a Vigília de Oração e a Eucaristia de Envio, respectivamente, no Aeródromo de Cuatro Vientos. Estes últimos momentos descritos eram, sem dúvida, os mais ansiados e aguardados por todos os jovens que, firmes na sua fé, resistiram a temperaturas demasiado elevadas e a ventos fortes com precipitação intensa.
Firmar a nossa Fé nos 3 dias de catequese.
“A juventud del Papa”, como se intitulavam os jovens peregrinos, transmitiu em Cuatro Vientos toda a aprendizagem que fora adquirindo na troca de experiências pessoais e culturais e, principalmente, nas catequeses a que se associaram. O grupo de peregrinos de Aveiro animou as catequeses de 17 e 19 de Agosto, na Paróquia de Santa Catarina de Sena, bem no centro de Madrid, por onde passaram jovens portugueses de Aveiro, Lisboa, Évora, Porto, Movimento Juvenil Salesiano, Brasil, Angola e Cabo-Verde.
D. Virgílio Antunes, Bispo de Coimbra, deu a conhecer à juventude aveirense “os caminhos que devem ser percorridos para se ser firme na fé, referindo a abertura de coração a Cristo, a abertura ao diálogo de proximidade e amizade dentro de nós mesmos, a entrega de doação e amor aos outros, adesão pessoal a Deus com esclarecimento cultural e intelectual e a vida em comunidade cristã, pois sem ela perdemos o encontro com Cristo”.
D. António Francisco, Bispo de Aveiro, relembrou a estes peregrinos que eles “são protagonistas da nova era missionária e que têm em mãos a capacidade de evangelizar, mostrando Cristo nos actos e nas palavras. O fruto desta evangelização só poderá ser a alegria constante, que se tornará motivadora e capaz de encher cada um do entusiasmo necessário para se tornar dinamicamente renovador. Só assim a vida se pode tornar um dom e não um fracasso.” A certeza de que “Madrid não continuará igual depois destas JMJ e as Dioceses portuguesas também não”, tornou possível o iniciar desta missão evangelizadora ainda na capital espanhola.
No dia 18 todo o grupo partilhou a emoção do grande encontro dos 11 mil jovens portugueses como os 17 Bispos presentes em Madrid. O grande Madrid Arena encheu-se do entusiasmo de uma Igreja portuguesa jovem que ouviu atentamente as palavras do Cardeal Patriarca D. José Policarpo e os testemunhos vocacionais de um casa aveirense e de um sacerdote de Coimbra.
Enraizados nas palavras do Papa Bento XVI.
Os jovens foram sendo interpelados pelas palavras proferidas pelo Papa Bento XVI. Logo à chegada o Santo Padre sublinhava que chega como “Sucessor de Pedro para confirmar todos na fé, vivendo alguns dias de intensa actividade pastoral para anunciar que Jesus Cristo é o Caminho, a Verdade e a Vida. Para animar o compromisso de construir o Reino de Deus no mundo, no meio de nós. Para exortar os jovens a encontrarem-se pessoalmente com Cristo Amigo e assim, radicados na sua Pessoa, converterem-se em seus fiéis seguidores e valorosas testemunhas.” Estava traçado o objectivo.
Na vigília em Cuatro Vientos, Bento XVI dirigiu-se de forma especial aos jovens de língua portuguesa, convidando cada um “a estabelecer um diálogo pessoal com Cristo, expondo-Lhe as próprias dúvidas e sobretudo escutando-O. O Senhor está aqui e chama-te! Jovens amigos, vale a pena ouvir dentro de nós a Palavra de Jesus e caminhar seguindo os seus passos. Pedi ao Senhor que vos ajude a descobrir a vossa vocação na vida e na Igreja, e a perseverar nela com alegria e fidelidade, sabendo que Ele nunca vos abandona nem atraiçoa! Ele está connosco até ao fim do mundo.”
Lembrou-nos que uma nova jornada desponta agora à chegada, quando se despediu em português, salientando que nos sente “em contracorrente no meio duma sociedade onde impera a cultura relativista que renuncia a buscar e a possuir a verdade. Mas foi para este momento da história, cheio de grandes desafios e oportunidades, que o Senhor vos mandou: para que, graças à vossa fé, continue a ressoar a Boa Nova de Cristo por toda a terra.” Este é o desafio da verdadeira jornada da vida de todos os dias.

TESTEMUNHOS DE JOVENS PEREGRINOS PELO SDPJV AVEIRO
Autocarro Ovos Moles – Paulo Capucho, Paróquia da Vera Cruz
Calor…água…Jovens…animação e muita alegria na partilha de um mesmo ideal: JESUS CRISTO!!!
As Jornadas Mundiais da Juventude Madrid 2011 foram uma experiência fantástica, um impulso para continuar esta caminhada em Cristo, de Cristo e para Cristo. É fenomenal a forma como a juventude disse SIM a mais este desafio e a esta chamada, e quer demonstrar ao Papa Bento XVI que “esta es la Juventud del Papa”.
As Jornadas não se ficam só pelos momentos marcantes que se viveram por terras de “nuestros hermanos”, mas sim em cada um de nós “Enraizados em Cristo…Firmes na Fé!”, e como o Beato João Paulo II desafiou os jovens nas JMJ Roma 2000, “Ide e incendiai o mundo com a vossa Fé!”.
Próximo desafio: Rio de Janeiro 2013…;)

Autocarro Salinas – Diana Gomes, Paróquia da Glória
Para mim, estas jornadas foram muito mais que uma simples saída para fora do país. Todo o tempo que nos foi concedido, mesmo sendo muitas vezes para o aproveitarmos livremente, ocupou-me de uma maneira incrível. Encontrarmo-nos com nós mesmos, encontrarmo-nos com os outros e encontrarmo-nos com Deus deu o seu trabalho e a sua luta, mas quando olhamos para o resultado... foi muito compensador. Durante estes 11 dias, questões como “Quem sou eu afinal?”; “Do que serei capaz?”; “Com quem poderei realmente contar para que, passo a passo, caminhe, não encontrando a solidão?” foram surgindo e, entretanto, no meio tantas vezes do silêncio, de um sorriso ou de uma lágrima, as respostas foram aparecendo. Lutar por alguém que simplesmente nos diz muito, que significa algo para nós e nos preenche interiormente, pode ser uma batalha bem difícil e, algumas vezes, carregada de lágrimas no seu decorrer. O que é certo é que foi também durante os 11 dias de jornadas que posso afirmar que valeu a pena.

Autocarro Farol – Lénia e Filipa, Paróquia de Nariz
As JMJ 2011 foram, sem dúvida, um teste aos nossos medos e limites. Conseguimos perceber que é possível suportar o calor, a chuva e o cansaço para continuar a busca do nosso farol que é Jesus Cristo. Além disso, apercebemo-nos que milhares de jovens, assim como nós, também partilham da mesma fé, acreditando neste Cristo, o Messias. Deste modo, regressamos mais fortalecidos e com a certeza de que os nossos passos irão caminhar no sentido de nos edificarmos, cada vez mais, em Cristo.

Autocarro Moliceiros – Rodrigo Santos, Paróquia de Ouca
A minha primeira experiência de JMJ começa a 11 de Agosto de 2011. Foi algo único e muito enriquecedor. Parti com algumas dúvidas mas, no regresso, trago muitas certezas. Ser cristão peregrino não é somente ir à missa e andar no grupo de jovens. Ser cristão peregrino é ter fé, acreditar e caminhar, muitas vezes, na incerteza de chegar ao que buscamos, ao que pretendemos.


ANTES DE MADRID, CÓRDOBA
De 11 a 15 de Agosto o grupo de Aveiro esteve na Diocese de Córdoba, em pré-jornadas vividas no arciprestado de Priego de Córdoba, província de Andaluzia. Nestes 5 dias no arciprestado de Priego de Córdoba os jovens viveram um programa diversificado com espaços de oração e lazer, procissões, visitas turísticas e eucaristias, onde peregrinos, famílias e os anfitriões se foram conhecendo e comungando do mesmo entusiasmo. Em Priego, Carcabuey e Almedenilla o grupo de Aveiro foi acolhido sem reservas e com um enorme entusiasmo pelas famílias, comunidades paroquiais e instituições locais. Um encontro que deixou sementes de ambos os lados, como se vem confirmando pela troca de comunicações entre as famílias, as paróquias e os jovens peregrinos de Aveiro para espalharem alegria e energia num arciprestado onde a dinâmica juvenil se confina às escolas e colégios católicos.

Secretariado Diocesano de Pastoral Juvenil e Vocacional de Aveiro



0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial