Jornal de Opinião

São muitos os textos enviados para a Agência Ecclesia com pedido de publicação. De diferentes personalidades e contextos sociais e eclesiais, o seu conteúdo é exclusivamente da responsabilidade dos seus autores. São esses textos que aqui se publicam, sem que afectem critérios editoriais da Agência Ecclesia. Trata-se de um espaço de divulgação da opinião assinada e assumida, contribuindo para o debate de ideias, que a internet possibilita.

05/04/13

Páscoa: adultos batizam-se no Sal

A paróquia de N. Sra. das Dores na ilha do Sal, em Cabo Verde, assiste a um aumento de catecúmenos que solicitam os sacramentos da iniciação cristã. O catecumenato juntamente com a preparação para o matrimónio são duas das grandes apostas da jovem diocese do Mindelo e do seu bispo D. Ildo Fortes que hoje assinala dois anos de ordenação episcopal. A aposta na formação cristã de adultos – Fé e Família - faz do processo de evangelização em curso uma autêntica pastoral de conversão de vida onde o chamamento de Cristo aliado ao testemunho da igreja são convite à mudança e ao seguimento dos valores cristãos. Na Páscoa do ano passado e na deste ano foram batizados na Vigília pascal um total de 24 adultos. Entre os “neófitos”, além de cabo-verdianos, contam-se também imigrantes da Guiné-Bissau e Angola. A ilha, devido ao aumento do turismo internacional surgido na última década, continua a ser forte polo de atração para migrantes internos de outras ilhas, como igualmente de imigrantes da costa africana (Guiné Bissau, Senegal, Nigéria, Mali entre outros) e da China. Aumenta ainda a presença de residentes europeus que aqui se fixam para trabalhar – portugueses e italianos, entre outros – ou, na situação de reformados, aqui decidem passar alguns meses do ano, fugindo ao rigor da estação do inverno na Europa. A paróquia do Sal animada pela “alegria de acreditar” – lema da diocese para o Ano da Fé - empenhou-se grandemente na vivência da quaresma, semana santa e tríduo pascal sob o signo da “beleza no celebrar a fé”. Na verdade, ao longo do tempo pascal será o Círio florido o sinal da presença do ressuscitado no meio desta igreja diocesana marcada pela escassez de recursos materiais e humanos, mas viva e missionária no compromisso dos seus leigos e insuficiente clero. Não havendo padre na ilha o serviço pastoral e a comunhão eclesial são atualmente garantidos pela presença temporária de um missionário português. Manuel da Silva

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial